quinta-feira, 27 de março de 2008

Ninguém é Pato

Em cada estréia (Inter, Milan e Seleção principal), um gol. Constantemente, a personalidade para chamar o jogo pra si e não duvidar de sua capacidade para decidi-lo. São características de Alexandre Pato que puderam ser vistas no lance que definiu o Brasil x Suécia de ontem, e que colaboram para transformar o atacante de apenas 18 anos no novo fenômeno midiático do esporte das multidões.

O fato de ser midiático não ofusca o talento que ele tem. É impressionante que um garoto que despontou aos 17 anos e foi logo campeão mundial interclubes não tenha sucumbido à superexposição e à gama de expectativas que lhe foram colocadas. Ao contrário: foi um dos que se salvou na seleção sub-20 e não parece pesar nunca a responsabilidade de estar sob holofotes de todo o tipo.

O que pode explicar a constância de Pato é sua personalidade simples, que parece não ter se deslumbrado com os mundos e fundos que surgiram em seu caminho. Aos 18 anos, já pensa em se casar com a namorada (para quem dedica todos os gols); fala e se veste do mesmo jeito que fazia em Porto Alegre; aceita a reserva tendo a consciência de quem, apesar dos recordes, está no começo da carreira. É o Alexandre de sempre, e isso não dá sinais de que vá mudar.

Ontem a estrela Alexandre Pato não precisava ter corrido na direção do goleiro, numa bola que normalmente vai pro campo de ataque ou rebate em lateral a favor do adversário. Pois ele foi, e mostrou que tem talento (pra acertar um chute dali), raciocínio rápido (pra decidir chutar dali) e noção de quem é ("posso decidir esse jogo"). O 1 x 0 foi justo principalmente para Pato ser, com motivo, a estrela do dia.

Mesmo com todo o blá-blá-blá de que a Olimpíada não é proridade, Dunga vai convocando metade dos jogadores com idade pra Pequim. E são eles que têm feito a diferença nos jogos, além de Robinho. Diego parece que veio pra ficar, mas dificilmente ele e Kaká jogarão juntos. O técnico da Seleção prefere seus amados volantes e o trambolhão Júlio Baptista. E ele já decretou que Richarlyson é lateral-esquerdo, apesar de ter se destacado como meio-campo e de agora não estar jogando nada em posição alguma. Haja paciência...

O que falar do Campeonato Carioca? Fla e Flu ganharam de 4 x 1. Você quer mesmo saber de quem, ou quem fez os gols? Faz diferença? Prefiro imaginar qual o futuro dessas equipes que, motivadas pela rivalidade das torcidas, pode dar um bom caldo futebolístico. O time do Flu, cada vez mais homogêneo, vai corresponder nas semifinais e ser campeão carioca? Ou perde e segue na Libertadores, vencendo a inexperiência e a desconfiança? O time do Fla, com seu futebol de resultados, vai vencer a Taça Rio e dispensar as finais? Passa das oitavas na Libertadores além de ganhar o Carioca? Ou nenhum dos times corresponderá a nada, e os coadjuvantes abocanham as chances? E nisso tudo, Fla e Flu se enfrentam nas finais? Ou nos cruzamentos do torneio continental? Aqui sim, Galvão, haja coração!

O Campeonato Paulista é que está valendo a pena acompanhar. O Santos ressurge a cada jogo e ontem venceu o Corinthians em casa por 2 x 1, aproximando-se da vaga nas semifinais. Quem diria, olhando pra confusão da Vila Belmiro no começo do ano? Com a vitória por 1 x 0 sobre a Portuguesa, o Palmeiras é líder - o que não acontecia há 2 anos! O São Paulo tem chance, a Ponte Preta continua em terceiro, o Corinthians não pode perder... As probabilidades se divertem no Paulistão.

2 comentários:

Henrique Blecher disse...

Caro,

estava lá, ao vivo, num excelente lugar, a poucos metros de onde tudo aconteceu. Foi lindo. Nesses momentos eu sinto que o futebol poderia ser mágico na sua plenitude. mas ai, logo caio na real e me lembro dos cabelos trançados de um tal que acha que é Deus, de um outro agachado com um relógio que vale um apartamento, esperando por um chute certeiro de um francês qualquer, de fatos que soube em primeira mão por jornalista que se concentrou com o exército de semi-deuses antes da copa - deixariam minha avó rubra de vergonha e os brazucas ainda mais putos...O Pato parece ser diferente, mas ainda é pouco...Temos que esperar. Máscara é um vírus inerente aos jogadores brasileiros. Um abraço, Henrique

Marcos André Lessa, cristão, flamenguista, jornalista formado pela UFF-RJ disse...

Eu suspeitei dessa face simples do Pato pq o cara com 18 anos não está pensando em farra, mas em casar... Sei lá, me pareceu um indicador. Mas esperemos então, pra ver se a máscara também cai sobre ele.