quinta-feira, 1 de maio de 2008

A cada quatro gols, uma surpresa

A noite de quarta foi recheada de goleadas inesperadas, gerando esperanças onde antes não havia. Ou mascarando erros - o que pode ser fatal mais à frente.

É impressionante a capacidade do time do Flamengo para complicar jogos fáceis. O América é o lanterna do campeonato mexicano e já tinha declarado que um empate (em casa!) era um bom resultado. E não consegue acertar um seqüência de três passes.

Pois o Fla fez questão de jogar como se fosse o lanterna do Brasileirão. Muitos erros de marcação primários, passes curtos desperdiçados sem parar, mau posicionamento. Parecia um time que nunca tinha jogado junto.

E sem meio-de-campo. Jailton, como sempre, inútil; Ibson, inexplicavelmente parece que desistiu de jogar futebol; Kléberson, irritante. Só se salva Cristian, que mesmo assim não cria. Daí, Luizinho é lateral autêntico, ao contrário do ala Leo Moura, que se aventura nos bons passes e lançamentos.

Só Juan não dava conta, e Souza voltava pra buscar jogo e se via isolado no ataque, já que Marcinho não aparecia para tabelar.

Só que o ex-jogador do Atlético-MG provou que é a melhor contratação do Flamengo na temporada. Com lançamento de Bruno (mais uma prova do deserto de criação no meio-campo), Marcinho dominou, partiu pra cima e fez algo simples que não estava sendo feito: chutou a gol. 1x0 Fla.

Logo depois, um empate com falha de marcação no cruzamento. No segundo tempo, os mesmos erros e, de novo, Marcinho resolveu chutar (certo) a gol e fez o 2x1. Numa bisonha falha de marcação da zaga, 2x2. O rubro-negro parecia querer drama atrás de drama.

Até que, após mais um chute na trave, Léo Moura (que não estava impedido), cruza para Tardelli (esse eu tenho minhas dúvidas) que só empurra pro gol. Ainda deu tempo, sob o terror de levar mais um gol de empate, de fazer o quarto e praticamente garantir a vaga nas quartas.

Mas se não resolver esse terrível meio-campo, sei não...

O Fluminense também conseguiu ótimo resultado vencendo o Nacional fora de casa. Precisa manter a concentração pra não "apagar" durante as partidas decisivas.

O Cruzeiro fez um importante gol na Bombonera e pode vencer o Boca Juniors em casa. Só não pode pensar que saiu com vantagem, porque o Boca é o Boca, veterano campeão da competição.

O São Paulo arrancou um empate com o Nacional do caldeirão de Montevidéu, mas a torcida ainda hesita em comemorar, com razão.

O Palmeiras caiu de quatro em Recife, provando que sua prioridade é o Campeonato Paulista. Ficar de bem em casa com a torcida, ganhando dos principais rivais, vai dar a tranqüilidade necessária pra começar bem o Brasileirão - onde Luxemburgo deve apostar todas as suas fichas certeiras.

Se eu fosse o técnico da Ponte Preta, diria para seus atletas que domingo é o jogo da vida deles. E aí...

O Corinthians não quis saber do Goiás e fez um 4 x 0 pra dar moral. Também é um time que não empolga e nem possui grande elenco, mas vai se valer da raça pra avançar na Copa do Brasil. Será que a torcida esperava um placar tão dilatado?

Um comentário:

Fabricio disse...

Essa Copa do Brasil está ficando cada vez mais fácil!!!

O flavela...que isso. Eu desisti de secar porque aquele time era muito ruim. Nem pra contundir alguém haha

Melhor assim, vamos ganhar dos 11!!!

abraço