terça-feira, 3 de junho de 2008

Esse é o país da Copa 2014

É triste que o fato principal da rodada de fim de semana seja uma selvageria. O jogo entre Náutico e Botafogo infelizmente vai ficar pra história, e ele revela tristes características do futebol pentacampeão e do país-sede da Copa 2014.

Primeiro, o destempero de André Luís ao ser expulso. Antes mesmo de sair de campo o zagueiro parecia transtornado, fazendo gestos agressivos para o juiz. Por mais que a interpretação do árbitro pudesse estar errada, nada justifica aquela reação.

Mas a arbitragem brasileira não se impõe pela qualidade inquestionável, tampouco suas Comissões Reguladoras ou os Superiores Tribunais Desportivos, que absolvem os maiores absurdos feitos em campo.

Com esse background, os jogadores sentem-se à vontade para (e até no direito de) reagir no estilo de André Luís, ainda que em intensidade menor. Quanto aos gestos obscenos para a torcida, boto na conta da falta de maturidade da pessoa, e não apenas do jogador.

O Náutico fala que não tem responsabilidade, mas por que o vestiário estava trancado? Se aquela porta estivesse aberta, tudo acabaria mais cedo.

Pra completar, a atuação da polícia. Injustificável a "chave-de-braço" num jogador que estava cercado por quase uma dezena de policiais (e que, naquele momento, já tinha se acalmado).

Mas pior ainda foi levá-lo pelo meio da torcida adversária - ainda mais após tudo o que aconteceu em campo. Se algo acontecesse com André Luís, quem seria o responsável?

E se Recife for uma das cidades-sede da Copa 2014? Esse tipo de organização é a que vai ser presenteada às seleções e torcidas visitantes?

Voltando ao futebol, a dança dos técnicos recomeça. Alguns saem por maus resultados, outros por melhores propostas. Mas isso pode muito bem mexer com a projeção dos favoritos ao título. O Internacional tem chances sem Abel? O Botafogo sem Cuca sobe ou desce na tabela?

O Santos, com o mesmo Cuca, deve brigar por uma vaga na Libertadores. Não acho exagero, pois o elenco do Peixe dá mais opções para o técnico recém-chegado do que o Botafogo. E não duvidem do "toque mágico" de Cuca em elencos sem grandes perspectivas.

O Fla de Caio Júnior rateia mas segue garantindo seus pontos. Não fosse Fernando Henrique, teria goleado os reservas do Flu. Mas ainda apresenta falhas no meio-campo e um ataque fraco em gols.

Um comentário:

Fabricio disse...

Farei de tudo para que meu desânimo não prejudique meus comentários. Por hora: que ódio daquela polícia e dos nordestinos se fazendo de vítima.

Cuca, MUITO OBRIGADO!
Ole Ole Ole Olaaa
CUCAAAA CUCAAAAA
Pra sempre!