quinta-feira, 10 de julho de 2008

Os ex-coadjuvantes

O equilíbrio do Brasileirão já estava anunciado desde antes de começar. Acredito que a diferença (desde 2007) para as outras edições é que a qualidade e a emoção dos jogos aumentou. Além disso, eternos coadjuvantes começam a cavar seu espaço no topo do futebol, e o campeonato nacional é o lugar pra isso.

Veja o caso de Vitória e Náutico: há pouco, amargavam campanhas irregulares na Série A e rebaixamentos constantes. Nessa quarta o rubro-negro baiano chegou à vice-liderança sem ninguém perceber, com a categórica goleada por 5 x 2 em cima do Botafogo. E está a 3 pontos do líder.

O Náutico, mesmo com toda a confusão em seu estádio (no jogo contra o Botafogo) e sem grandes estrelas, virou contra o São Paulo, em casa - e ninguém pode dizer que foi um resultado anormal. Desde o ano passado o time pernambucano vem numa curva ascendente, visando o Brasileirão.

O Coritiba venceu por 4 x 0 a Portuguesa, subindo 7 posições na tabela. Apesar do resultado elástico, os dois times também não têm dado vexame na volta à Série A e prometem incomodar muita gente.

O Fluminense voltou a sorrir e a vencer, com Dodô titular. Não foi por acaso, e tomara que Renato aprenda dessa vez. Pra completar, Somália provou que está recuperado da contusão no joelho e fez um golaço - mais uma opção pro ataque. A torcida precisa continuar dizendo "Eu acredito", dessa vez para o time se recuperar. Eu também acredito.

Santos e Botafogo são candidatos a rebaixamento, assim como o Ipatinga. O clima nos dois clubes está atribulado, os técnicos não tem grande material nas mãos e a pressão vai aumentando a cada rodada. Ser candidato não quer dizer que vai acontecer, mas o grupo tem que estar ciente disso.

O Internacional ressurge, e daqui a pouco flerta com o G-4.

Atlético-MG 1 x 1 Flamengo foi um jogão. Chances incríveis de ambos os lados, excelente arbitragem (principalmente os bandeirinhas) e muita emoção. O Fla demonstra mais uma vez que tem elenco: começou sem 3 titulares, terminou sem mais 3 e ainda assim agüentou a pressão do Galo.

O rubro-negro carioca mostrou qualidade no passe e nas inversões de jogada, e a torcida se sentiu consolada pela venda de Renato Augusto: Erick Flores e Aírton entraram numa "roubada" e não fizeram feio, demonstrando talento e personalidade. Marcinho confirmou a artilharia com mais um gol bonito. Obina destoou: apesar do passe pro gol, errou todo o resto. Sem gols, vai ficar complicado sustentar-se como titular.

O Atlético mais uma vez empatou, e não parece ter grandes expectativas com o elenco que possui. Jogam na base da raça, mas falta um centroavante, um meio-campo de talento menos idoso que Petkovic, um goleiro mais seguro. Merecia ganhar, mas não sei se essa vai ser a tendência do Galo no Brasileirão.

4 comentários:

Anônimo disse...

O campeonato ainda estah no inicio e ainda eh cedo pra se fazer previsoes.
Nem Botafogo e nem Santos serao rebaixados, pois ha times piores e com menos perspectivas.
Nautico eh fogo de palha, quando todos os grandes se acertarem ele volta a descer.
Flamengo ainda naum convence. Naum fosse o nervosismo e incompetencia dos atleticanos no ataque, o Fla teria amargado a segunda derrota. Isso sem falar no jogador atleticano empurrado dentro da area proximo da linha de fundo no segundo tempo. Penalti q a Globo fez questao de naum reprisar.
Alias, por falar em Globo, Wright naum foi escalado para comentar o jogo de ontem. Pq serah neh? Pergunte pra torcida atleticana q ela sabe muito bem.

Abs, Fabio

Fabricio disse...

bizarro dizer que o Botafogo eh candidato a cair...n sei se vc lembra mas demos show no inicio do ano

Marcos André Lessa disse...

Fabricio, início do ano não é início de Brasileirão. Analisando o momento, o Botafogo é CANDIDATO. Não disse q vai cair. Abs

André Mello disse...

Amigos,
O problema do Botafogo é o mesmo que o do Fluminense - os dois times não tem técnico. Mas, quanto a cair para a segundona, eu só acredito que isso vai acontecer com o Ipatinga (o time está realmente muito mal, em todas as rodadas). Evidentemente, o Flu corre o risco de conseguir um tricampeonato nesta ponto - se continuar mal organizado, porque não adianta o time ter um bom elenco, sem um bom padrão de jogo. Os demais estão todos no risco, mesmo os favoritos da atualidade. Explico: olhem a tabela do ano passado (2007). Dos quatro rebaixados, três tinham mais de 40 pontos! No ano retrasado (2006), a coisa é mais complicada ainda, quem tinha menos de 40, dançou.
Vejam:
2007 - Rebaixados
17º Corinthians 44
18º Juventude 41
19º Paraná 41
20º América-RN 17
2006 - Rebaixados
17º Ponte Preta 39
18º Fortaleza 38
19º São Caetano 36
20º Santa Cruz 28