quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Confusões sintomáticas

Rodada quente no Brasileirão, com altas emoções dentro e fora do campo.

O Vasco caiu no ditado de "quem nunca come melado, quando come se lambuza". Há 6 jogos sem vencer, que vascaíno acreditaria numa vitória diante do Sport, na Ilha do Retiro? Pois era o que acontecia quando terminou o primeiro tempo. O Sport, naquele jeito desordenado de jogar, deu trabalho para o bom goleiro Rafael.

Mas o nome do jogo seria Leandro Amaral. Com Renato Gaúcho fazendo de tudo pro time não levar gol, restou ao atacante fazer tudo: roubava a bola na defesa, armava e finalizava. Dois golaços do melhor jogador cruzmaltino na temporada.

Só que defender-se apenas, desperdiçando as poucas chances no ataque, não dá. O "melado" dos 3 pontos deixou o Vasco nervoso. Aí até um atacante mancando consegue fazer gol, e assim foi: o Sport conseguiu o empate. Enquanto isso, Dinamite, Tita e Eurico trocam acusações que não ajudam em nada a situação do time.

Não vi o jogo do Santos, só os lances polêmicos. Fabiano Eller reclama que o juiz estava mal-intencionado. E que intenção tinha o zagueiro santista ao mostrar as travas da chuteira na falta em que levou o cartão amarelo? É um bom jogador, mas não tinha razão nenhuma de reclamar. E pior é que ainda voltou depois do jogo pra ameaçar o juiz... Pra quê? Ia adiantar alguma coisa, àquela altura?

O Palmeiras, assim como o Flamengo, não consegue passar confiança à torcida. 0 x 0 com o Figueirense, com a vitória gremista, era um resultado inadmissível.

Sábado tem mais. E domingo, Seleção: vai ser "haja coração!" ou "haja paciência..."?